• foz
  • Facebook
  • Twitter
  • instagram

Notícias

10/08/2017

Inmetro e Ipem-PR encerram seminário com visitas à Regional de Cascavel e Cooperativa de grãos

O seminário Desafios e Impactos do Controle Metrológico de Medidores de Umidade de Grãos, realizado em Foz do Iguaçu, pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro, com apoio do Instituto de Pesos e Medidas do Paraná – Ipem-PR, encerrou hoje (9), com as visitas à Regional do Ipem de Cascavel e a uma Cooperativa, para que os participantes pudessem observar o processo de recebimento de grãos, e simulação de uma verificação do aparelho que mensura a umidade de grãos de soja.

Antes das visitas os participantes se reuniram na sede da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico, contando com a presença do prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, que já foi presidente do Ipem-PR, do secretário municipal da área de Desenvolvimento de Cascavel, João Alberto, e com o presidente da Fundetec, Alcione Tadeu Gomes. Assistiram também à palestra sobre Método de Estufa – Normas Adotadas, do professor Tetuo Hara, da CENTREINAR.

O presidente do Ipem-PR, Oliveira Filho, comentou sobre o Seminário que começou em Foz do Iguaçu, da presença de técnicos de outros países como Equador, Chile, Uruguai, Paraguai, Argentina, e México, a quem tratou como “Hermanos”, por causa do Mercosul. Para Oliveira, “o Ipem do Paraná saiu na frente de outros órgãos delegados do Inmetro porque criou o Laboratório de Análise de Umidade de Grãos desde 2002, o que possibilitou a realização dessa parceria no momento em que o Inmetro acaba de regulamentar a atividade (Portaria 402), dando aos Ipems do país a atribuição de fiscalizar aparelhos que fazem essa medição da umidade de grãos. Lembrando que o Brasil é um dos maiores produtores de grãos no mundo, e o Paraná está entre os cinco estados que mais produzem grãos”, destacou Oliveira Filho.

O prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, disse que fez questão de estar presente ao evento, e que tem “muito respeito pelo Inmetro e pelo Ipem-PR”. Falou ainda que faz “questão de abrir as portas da prefeitura para esse órgão tão importante”, inclusive para sua trajetória pessoal e política, porque foi dirigente do órgão estadual. Paranhos citou os cortes orçamentários do governo federal, que atingiram o Ipem-PR, “mas o corpo técnico é competente e tem condições de superar com o trabalho essa dificuldade”, finalizou o prefeito de Cascavel.

O representante do presidente do Inmetro neste evento de quarta-feira foi Daniel Campos, que trouxe palavras do presidente Carlos Azevedo: “a questão da umidade de grãos é importante para o país, e que o presidente do Inmetro está fazendo o impossível para superar o contingenciamento do governo federal”. Campos disse ainda que “o presidente Azevedo vai buscar recursos para implantação de laboratórios de umidade de grãos em outras unidades, inclusive está querendo capitanear investimento externo para essa realização”, disse Daniel, que já avisou aos representantes dos órgãos delegados presentes ao Seminário: “a definição dos locais será pela especificidade de cada região!”, finalizou.

O presidente da Fundetec, Alcione Tadeu Gomes, disse que a entidade “está aberta para promover o desenvolvimento da nossa região”. Considerou a presença do Laboratório de Umidade de Grãos de Cascavel como um ganho para o produtor, “porque ele vai poder monitorar e com isso perceber onde o seu produto está perdendo valor”, falou Gomes.

Do Inmetro, o diretor de Metrologia Legal, Raimundo Alves de Resende, ressaltou que o evento estava sendo realizado em comemoração aos 50 anos do Ipem-PR, e que considerou muito produtivo o seminário, principalmente porque trouxe experiências de fora, dos países já citados. A presidente do Ipem do Espírito Santo, Cláudia Mileipe Festa Lemos, ressaltou a importância da participação do presidente do Inmetro, “que entende nossos problemas”. Cláudia elogiou o presidente do Ipem-PR “por estar sempre quebrando protocolos, e trazendo as mulheres para junto das decisões, para participação na composição da mesa em seus eventos, sem machismos. Agradeço em nome de todas as mulheres”, concluiu.

Pedro Paulo de Carvalho Neto, coordenador Geral da Rede Brasileira de Metrologia Legal e Qualidade (RBMLQ-I – Cored), agradeceu a presença do prefeito Paranhos, e disse que “muitos dos dirigentes dos órgãos delegados têm atuação no campo técnico e também no político! Muitas vezes resolvemos nossos problemas na área política!”. Pedro Paulo citou o exemplo do Ipem de Roraima, “só conseguimos viabilizar a construção da sede do Instituto naquele estado, através de emenda impositiva”. Paulo ressaltou a presença da Rede de Metrologia no seminário realizado em Foz do Iguaçu, “demonstrando a preocupação com a qualidade dos nossos produtos exportados, especificamente nossos grãos. Saímos daqui mais preparados”, finalizou.

O gerente da Regional do Ipem de Cascavel, Francisco Bessa, falou da importância do trabalho, que começou em 2002. “Esse laboratório nasceu porque tínhamos uma reivindicação, pois recebemos muitas denúncias desse segmento. A partir daí, surgiu a ideia de construir esse laboratório para medir a umidade dos grãos. E hoje é uma realidade. Hoje sinto o  gosto dessa vitória! Hoje estamos preocupados com erros “finos”, na casa decimal”. Bessa citou os aparelhos do tipo universal, que foram proibidos desde fevereiro desse ano, pela Portaria 402/2013, do Inmetro. “Nos Estados Unidos, esses aparelhos são proibidos há 60 anos”. Hoje o Ipem-PR é o responsável pela fiscalização dos medidores de umidade de grãos, “uma grande conquista para a produção de grãos nacional”, conclui Bessa.

Seminário    Visita Cooperativa


Seminário     Seminário


Seminário    Seminário


Seminário     Seminário


Seminário


Fonte: Assessoria de Imprensa - IPEM-PR

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.