Notícias Radares de velocidade passam por verificação em Londrina 16/05/2018

A equipe da Regional de Londrina do Instituto de Pesos e Medidas realizou, nos dias 13 e 14 de maio, a verificação de 13 pontos de radares instalados no município de Londrina, no norte do Estado. O trabalho dos fiscais foi feito em 31 faixas, e contou com o apoio da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanismo – CMTU. Nenhum dos instrumentos apresentou problemas, todos foram aprovados.

O gerente da Regional do Ipem/PR em Londrina, Marcelo Trautwein, explicou que esse trabalho é realizado anualmente por obrigação legal, “e como já estavam com o prazo vencendo, a CMTU nos solicitou que fizéssemos a verificação. Assim, a equipe acabou trabalhando inclusive no dia das mães, que foi comemorado no domingo passado. Isso é resultado da responsabilidade de cada um dos funcionários da Regional!”, destacou Marcelo Trautwein.

O trabalho de verificação de radares é realizado com um medidor de velocidade instalado num veículo oficial. Se houver uma grande divergência entre a velocidade medida pelo aparelho do Ipem e a assinalada pelo radar eletrônico, o instrumento será reprovado, devendo passar por ajustes. O Instituto admite um erro máximo de 5 km/h na medição. ''Devido a essa margem, em geral, as companhias de trânsito do município ou o responsável pela via autua apenas a partir de 7 km/h acima da velocidade máxima”, relata o diretor Técnico do Ipem/PR Shiniti Honda.

A importância do radar para controlar a velocidade - O mestre em engenharia de transportes Márcio Aguiar, professor da Universidade Fumec, de Minas Gerais, fala que “o controle de velocidade por radar é muito importante para o centro urbano, principalmente porque a alta velocidade é a maior causa de atropelamentos e de acidentes com ciclistas. O monitoramento eletrônico é essencial”, destaca.
De acordo com ele, a simples instalação de aparelhos em um trecho da via muda a dinâmica de deslocamento. “Quando se regula a velocidade com radar em um ponto, deve-se monitorar toda a via, porque locais onde não se desenvolvia alta velocidade passam a ter esse tipo de infração, e outras também. O trânsito é dinâmico e dentro do planejamento é necessário ter informações de acidentes e supervisão constante”, disse.

Fonte: Assessoria de Comunicação Ipem/PR

Recomendar esta notícia via e-mail: